Tu

Me enojas
como um soco no estômago.
Tua mesquinhez,
tua acidez,
teu coração profano,
ingrato,
amargo,
cru.

Tuas palavras são abortos
vomitados sem o filtro da mente,
que visivelmente
inexiste.

Tua estupidez
me bestifica.
E como João e Maria
pareço louca ao perguntar
o que é que a vida vai fazer de ti.

Que te leve,
te maltrate,
te despeje.

E, quem sabe um dia,
no rastejar dos teus erros insalubres,
a vida
ou a morte
te ensine.

Um comentário :