No silêncio do tempo,
 ouço os deuses em um único canto.
Sonho as formas de um sorriso,
que há muito abandonou o pranto.
O vento dança de mãos dadas
e sussurra novamente o velho encanto.
As líricas inspiradoras
exprimem os pecados de um santo.
O encontro de tantos quantos
perdem-se.
E por fim e continuação,
sonhos.

2 comentários :