Cezinha

Nos dicionários do infinito eu busquei,
mestres, magos e o oráculo consultei.
Aos mudos e tribocados perguntei,
desde o tapete do castelo até o rei.

Se definição havia, eu questionei,
para este pulsar em meu peito, que é de lei.
Por todos os cantos do mundo eu procurei,
mas apenas em um foi que encontrei.

Como definir tal sentimento? Eu já não sei.
Amigo-irmão-pedaço-ou-todo? Eu indaguei.
Com sua claridade em meu coração, logo desvendei:
O nosso laço não entorta, não enfraquece, não desata.
É único, é especial, é diferente, como estas últimas linhas que não tem rima.

Um comentário :