Sonho fúnebre

Há noites em que você aparece nos meus sonhos
e toma conta deles por todo o meu sono.
As armas nem sempre são as mesmas,
mas a fúria não oscila.
Em meus sonhos te destruo
e levo para um lugar escuro e profundo.
Te jogo, mas antes te mato.
Ou faço morrer pela queda.
Enquanto durmo, sorrio.
Suas lágrimas me entorpecem e aos poucos te faço sentir
o mais alto ponto do sofrimento.
Você sangra e implora por perdão, e eu, perdoo.
Para isso você me paga com esse empecilho que considera uma alma.

Nenhum comentário :

Postar um comentário