aquela canção que saía do rádio
o gosto amargo da ferida no canto da boca
a singela lembrança do tempo parado no relógio
o toque do vento embaraçando meus cabelos
era só
lá, si e dó
da música que abafava os gritos da memória

Nenhum comentário :

Postar um comentário