Amargou-se o amor

Já se foi aquele tempo
em que você tinha mania de me amar.
Deixava flores no portão,
mensagens felizes em meu telefone,
tocava minhas canelas com as pontas dos dedos,
me lisonjeava de tanto elogiar,
fazia visitas inesperadas no meio da noite,
mandava cartas e e-mails
e me olhava nos olhos com aquele brilho que só vejo quando olho para a lua
(que também podia ver em suas pupilas).
Agora o amor se amargou,
você está distante
(mesmo quando está perto),
meu portão não tem mais cor,
meu telefone não toca mais,
minhas canelas não tem companhia,
minha auto estima agora é vazia,
minhas noites não tem expectativas,
minha caixa de correio residencial e virtual
não tem vestígios de você.
E seus olhos,
ah... esses seus olhos.
Agora tem um aspecto escuro e frio
que me faz saber,
da sua incapacidade de me amar.

Nenhum comentário :

Postar um comentário