Perda

Não sei onde estou.
Ouço pássaros à milhas de distância,
um rádio tocando Bob Dylan por alguma redondeza abstrata,
uma voz cálida e velha chama pelo meu nome.
Está perto? Está longe? Está?
Não sei sequer se este nome realmente me pertence.
As dúvidas pairam sobre mim como pesares em meu corpo,
não consigo me mover,
estou apática.
Minha mente se movimenta,
meus pensamentos ainda tem vida.
Serão estes capazes de ressuscitar-me?

Nenhum comentário :

Postar um comentário