Amiguinimizade

Não há soluções.
Você pode discutir, enfrentar, relevar, (tentar) esquecer ou substituir.
Não há remédios quando sua enfermidade é amor.
Não amor propriamente ditado, como amante e paixões.
Mas o amor ao próximo.
A esse um ou outro que você denomina amigo.
É a lei da selva, da vida e natural dos encontros.
Um dia é da caça e outro do caçador,
ou também do amor e do desligamento.
Saudosos dias quais você acorda e se lembra
de uma brincadeira da infância com aquele seu eterno amigo, ou amiga,
um é tudo e tudo é um.
Então o tempo passa e você passa a rever seus conceitos de eternidade.
Surge então a saudade de alguém que marcou sua vida e partiu,
então você fixa esta pessoa em seu conceito de infinda duração.
Ahhh, saudade!
Quando penso em algumas partes de mim quais nunca vi,
mas amo como se tivesse passado a vida ao lado.
E somem.
E voltam.
E somem.
E sempre amo.
E tem também amor pelo próximo,
aquele que está sempre com você.
Na alegria, na tristeza, na saúde, na doença,
na riqueza efêmera e na pobreza duradoura.
Tem gente de "oi" e outras de "tchau".
Alguns de determinadas épocas e outros de tempos fragmentados.
Há aqueles quais se perdeu o contato
e aqueles que o orgulho priva de contactar novamente.
Existem também quem se tem mínimo contato,
mas o coração conhece a grandeza que possui.
Ou aquele palhaço da turma que apelida todos
e faz piadinhas nem sempre engraçadas,
mas você ri,
ou não, como preferir.
E desgosta daquele amigo mal humorado, pessimista e maldoso.
Briga
e faz as pazes.
Acolhe
e desiste.
Aconselha com palavras reconfortantes,
ou se cala da melhor forma,
e quando não sabe o que fazer, simplesmente abraça.
E querendo ou não,
se perde,
se tem,
se vai
e vem.
É irmão,
é bicho,
é amigo.
Dê valor!

Um comentário :

  1. Lembrou-me de Charlie Chaplin:
    "Cada pessoa que passa em nossa vida passa sozinha e não nos deixa só porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós."
    Seja amigo, inimigo ou um mero conhecido, sempre fica guardado em nós. :)

    ResponderExcluir