Moleque do Brasil

Eu tenho um tênis velho
e faço meu almoço.
Planto um pé de maconha e colho um pé de calma.
Bagunço a cama que arrumo quando quero.
O diabo do tempo insiste em me regrar.
Durmo antes da história de dormir.
Ouço rock do bom e não danço valsa.
Meus amigos são mendigos e outros tão pobres quanto.
Não tem fama e dinheiro, porém não tem hipocrisia.
Masco um chiclete até doer a mandíbula e depois colo no teto.
Eu não sou um ou mais um.
Não encanto o pai da moça e nem salvo ela da onça.
Eu sou um malandro, mas do bom.

2 comentários :

  1. É realmente um moleque brasileiro x)
    Adorei, seus escritos são belos.

    ResponderExcluir