Assinado


No peito de seu alguém tatuou uma carta,
contando sobre dias da memória,
lembranças não muito remotas,
um testamento para que cuidassem de seu cão,
e para outra que ficaria com sua saia de renda.
Contou segredos antes nunca revelados,
compartilhou rancores não perdoados.
Pediu perdão.
Revelou a seu amor
que a escrita por seu corpo,
era sua carta de mais sincero amor,
(e)terno.
Fim.

Nenhum comentário :

Postar um comentário